‘Nota Potiguar’: programa visa aumentar arrecadação em até 84 milhões ao ano

IMG000000000203738

“Esperamos mobilizar corações e mentes do povo potiguar para que a campanha seja um sucesso”, declarou a governadora Fátima Bezerra no lançamento do programa Nota Potiguar, que concederá prêmios para os contribuintes e beneficiará 24 instituições filantrópicas e quatro times de futebol do Rio Grande do Norte. O lançamento da campanha de educação fiscal, realizado pela Secretaria de Estado da Tributação (SET), reuniu representantes de entidades empresariais e beneficentes na tarde desta sexta-feira (07), no auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

Através do aplicativo Nota Potiguar, compatível com sistemas Android e IOS, que pode ser baixado gratuitamente, a população exercerá um papel fiscalizador ao informar o CPF e exigir a nota fiscal, além de ajudar uma instituição filantrópica de sua escolha. Dessa forma, contribuirá para evitar a evasão de divisas e ajudará a coibir a sonegação fiscal. “O que estamos propondo é um exercício de cidadania. Ao garantirmos o aumento da receita, estaremos garantindo a prestação de serviços públicos de qualidade, principalmente na Saúde e na Educação”, enfatizou a governadora.   

O secretário de estado da Tributação, Carlos Eduardo Xavier, destacou a importância de o lançamento da campanha ocorrer em ambiente empresarial, evidenciando a parceria com esses segmentos – comércio, indústria e prestação de serviços – proporcionando uma concorrência leal entre as empresas. “Hoje estou muito feliz por estar entregando à sociedade um programa que visa aumentar a arrecadação do Estado ao mesmo tempo em que beneficia a população, as entidades beneficentes e o empresariado. Todos sairão ganhando com o Nota Potiguar”, disse.

Otimista quanto à abrangência do aplicativo, que já alcança o patamar de 27 mil usuários, o presidente da CDL, Augusto Vaz, enfatizou a importância do programa principalmente no que se refere ao combate da evasão de tributos. “Nós que fazemos o trabalho direito só temos a agradecer, porque a população nos ajuda a combater os sonegadores. Estes não encontrarão mais tão facilmente um ambiente propício para sonegar impostos”.

A solenidade de lançamento da campanha contou com a presença de Francisco Régis, do Hospital Infantil Varela Santiago, que compôs a mesa representando as demais instituições filantrópicas, e do presidente do Globo, Marconi Barretto; do segundo vice-presidente da Fecomércio, Luís Antônio Lacerda; do vice-governador Antenor Roberto; e do secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado. 

PRÊMIOS E DESCONTOS

Em vigor desde sábado (01), a expectativa é de que o programa Nota Potiguar gere uma arrecadação extra de R$ 84 milhões por ano, através da conscientização do cidadão em pedir a nota fiscal e a inserção do CPF. O Governo vem trabalhando no desenvolvimento e apresentação da Nota Potiguar desde o início do ano, primeiro com o lançamento do aplicativo e depois a parceria com os clubes de futebol do estado no início de maio.

A ação já distribuiu ingressos para jogos do ABC, América, Santa Cruz e Globo, que são os times potiguares participantes das Séries C e D do Campeonato Brasileiro. Cada R$ 50 acumulados valem um ponto. Mas, uma nota fiscal dá direito a, no máximo, cinco pontos. E durante todo o mês, o acúmulo máximo é de 50 pontos. Com a pontuação, é possível fazer reserva para os jogos de futebol no mês seguinte.

Para cada ingresso, será necessário acumular R$ 150 em compras feitas a partir de 1º de junho. A reserva do ingresso será feita pelo próprio aplicativo. A contrapartida da parceria é a divulgação da marca da Nota Potiguar nas camisas dos clubes. Outra boa notícia é que o consumidor também poderá reverter os valores das notas cadastradas em descontos no IPVA. A próxima fase do programa prevê ainda sorteios de prêmios entre R$ 4 mil e R$ 50 mil.

Equipe da InterTV Cabugi é socorrida pela PM após ficar presa em atoleiro de “região muito perigosa”

D8EJ8T1XkAAofYk

Uma equipe de reportagem da InterTV Cabugi ficou presa em um atoleiro de uma estrada carroçável na noite deste sábado (1) na região metropolitana de Natal e foram socorridos por policiais militares. O local é considerado de alta periculosidade por ser conhecido por desova de cadáveres e ainda como rota de fuga de criminosos.

O repórter Acson Freitas fez o relato do caso no Facebook. Leia o relato:

“Ontem a noite durante a cobertura de uma reportagem, ficamos atolados por horas. Eu e meu cinegra Samuel tentamos de todas as formar retirar o carro da reportagem do atoleiro, mas não deu. Estávamos sem sinal e longe de qualquer coisa, no meio do nada em uma região muito perigosa.

Conseguimos contato com a CIPAM Cipam através do TenCel. Eduardo Franco que nos enviou a ajuda necessária. Graças aos policiais militares, depois de muito trabalho, conseguimos sair ainda com dificuldade do local. Quero agradecer a PMRN por representar tão bem o seu papel de servir e proteger a sociedade. Que Deus recompense cada um”.

Bolsonaro prepara ‘agenda Nordeste’ e faz 1ª viagem à região

download (1)

O presidente Jair Bolsonaro decidiu fazer uma ofensiva em território quase todo comandado por governadores da oposição. Na semana seguinte aos maiores protestos de rua contra seu governo, Bolsonaro fará a primeira viagem oficial ao Nordeste, para entregar casas populares e anunciar mais verbas para obras de infraestrutura. É nessa região que o presidente registra as piores avaliações – para 40% dos nordestinos, o governo é ruim ou péssimo, conforme o Ibope.

O roteiro tomará toda a sexta-feira. Em Petrolina (PE), Bolsonaro vai entregar um conjunto habitacional do programa Minha Casa Minha Vida.

Em Recife (PE), deverá anunciar um acréscimo de R$ 2,1 bilhões ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, a ser usado em obras de infraestrutura. Ao todo, o fundo passará a ter R$ 25,8 bilhões em 2019.

Oficialmente, a viagem marcará o lançamento do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), elaborado pela primeira vez, no âmbito da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

O presidente vai ser reunir, no Instituto Ricardo Brennand, complexo cultural da capital pernambucana, com 11 governadores.

Todos da região confirmaram presença – Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Além deles, irão os governadores de Minas Gerais e Espírito Santo, abrangendo parte do Sudene. Parlamentares nordestinos, que cobravam a ida do presidente à região, também estão sendo convidados.

Na primeira entrevista após assumir o cargo, Bolsonaro disse que os governadores nordestinos não deveriam pedir dinheiro a ele. “Não venham pedir nada para mim, porque não sou presidente. O presidente está lá em Curitiba”, disse ele, em referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato. Bolsonaro, porém, argumentou que não abriria uma guerra política para não prejudicar os eleitores.

“Não posso fazer uma guerra com governador do Nordeste atrapalhando a população. O homem mais sofrido do Brasil está na região Nordeste. Vamos mergulhar para resolver muitos problemas do Nordeste.”

A viagem de Bolsonaro foi precedida de encontros com esses governadores. Em uma reunião recente em Brasília, ministros palacianos apelaram por mais apoio à reforma da Previdência. Argumentaram que, apesar das diferenças políticas, não era mais tempo de “palanque”.

Rádio 91.9 FM lançará novo programa jornalístico com Aldo Clemente e Danilo Sá

e2679fa6-befa-4c46-b283-497a02200233

A rádio 91.9 FM lançará no próximo dia 11 de março um novo programa jornalístico. O Hora Extra da Notícia será veiculado de segunda a sexta-feira sempre das 12h às 13h. No comando do programa, estarão o advogado Aldo Clemente e o jornalista Danilo Sá.

No Hora Extra, além de um resumo com as principais notícias do dia, haverá espaço para aprofundar temas de importância para a sociedade. Também estão sendo preparados diversos quadros com novidades para o jornalismo potiguar. Assuntos relacionados a turismo, desenvolvimento econômico e empreendedorismo estarão na pauta, que ainda contará com denúncias e discussões sobre problemas de comunidades natalenses.

“O programa nasce com o objetivo de trazer para a sociedade assuntos considerados de importância para o nosso Estado. A questão do Turismo, por exemplo, é fundamental para nossa economia, geração de emprego e renda. E temas como este estarão constantemente em debate no Hora Extra”, disse Aldo Clemente, que também é especialista em gestão pública, direito administrativo e processo civil, além de ex-vereador de Natal.

Já o jornalista Danilo Sá antecipa que o informativo estará antenado com as principais notícias do dia. “Estaremos diariamente trabalhando com a informação, sempre prezando pelo respeito, credibildiade e correção com os ouvintes. Em uma época onde é tão fácil veicular fake news, é sempre bom contar com um canal de notícias em que você possa confiar. E esta será sempre nossa missão principal”, disse Danilo, que acumula experiência como repórter e editor em jornais e portais de notícias do Estado, além de ter sido repórter da Folha de SP no RN.

MPF reabre investigações sobre assassinato do jornalista Vladimir Herzog

d550180bb9c7bffd045aa5ff944512de

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo reabriu as investigações sobre o assassinato do jornalista Vladimir Herzog, ocorrido em 1975, durante a ditadura militar no Brasil. A reabertura foi possível após a condenação do Estado brasileiro na Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), da Organização dos Estados Americanos (OEA), no início deste mês, pela falta de investigação, julgamento e sanção dos responsáveis pela tortura e assassinato do jornalista.

Aos 38 anos, Herzog apresentou-se de forma voluntária para depor perante autoridades militares no Destacamento de Operações de Informação – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI/Codi). Foi preso, interrogado, torturado e morto no local. Na época, o jornalista foi declarado morto em consequência de “suicídio”, versão contestada por sua família desde o início.

“Queremos a Justiça, queremos conhecer os culpados, mas não é simplesmente uma questão de reviver o passado, mas de construir um futuro melhor. O presente que temos hoje é resultado do passado. Esse passado, se analisarmos os últimos 200 anos do Brasil, não mudou em nada. Os agentes do Estado continuam cometendo crimes e saindo impunes”, disse Ivo Herzog, filho do jornalista, que faz parte da Ouvidoria de Polícias do Estado de São Paulo.

“No ano passado, os agentes do estado [de Sâo Paulo] mataram mais de 900 pessoas. Isso é duas vezes o número de mortos e desaparecidos na ditadura militar em 20 anos. Esses crimes não vão a julgamento, menos de 8% dos crimes são investigados”, lamentou.

Na tarde desta segunda-feira (30), procuradores da República, integrantes do Centro de Justiça e Direito Internacional (Cejil), a viúva do jornalista, Clarice, e o filho, Ivo, concederam entrevista coletiva na sede da TV Cultura, onde Herzog trabalhava, para esclarecer o alcance da decisão da Corte em relação ao caso.

Crime contra a humanidade

Para a Corte Interamericana de Direitos Humanos, o caso Herzog cumpriu os requisitos de crime contra a humanidade, o que extingue as possibilidades de prescrição e de anistia dos torturadores e assassinos. O procurador da República Sergio Suiama, que atuou como perito na CIDH na avaliação do caso Herzog, disse que a forma como se organizou a repressão política no Brasil consistia em um ataque sistemático e generalizado contra a população e que isso foi confirmado com a sentença da Corte.

“[A conclusão é que] aqueles crimes cometidos por agentes da ditadura militar brasileira não eram crimes comuns, eram crimes de lesa-humanidade”, afirmou o procurador. Ele explicou que a condição de crime de lesa-humanidade – ou crime contra a humanidade – tem duas principais consequências jurídicas: a não prescrição e a não suscetibilidade de tais crimes à anistia. Ambas argumentações (prescrição e suscetobilidade à anistia) têm sido usadas no Brasil pela Justiça para que agentes repressores da ditadura militar não sejam responsabilizados.

Aplicação em outros casos

A diretora do Cejil, Beatriz Affonso, destacou que a decisão vale para outros crimes cometidos durante a ditadura militar no Brasil.

“Nos demais casos [de crimes durante a ditadura] que estão já denunciados pelo Ministério Público [Federal], repetem-se as características de crime contra a humanidade. A sentença da Corte não se restringe ao caso do Herzog, por isso que ela fala de contexto de crime contra a humanidade. Ou seja, ela entende que todas as violações que foram praticadas por militares e civis a mando da ditadura militar, de 1964 a 1985, ocorreram no contexto de crime contra a humanidade”, explicou..

Beatriz ressaltou que a Lei da Anistia, que é amplamente utilizada para obstruir as investigações e trazer para a sociedade a verdade sobre os crimes da ditadura, e a prescrição são dois institutos que não devem mais ser considerados pelo fato de os crimes que ocorreram durante a ditadura no Brasil terem sido em contexto de crime contra a humanidade, reforçando a impossibilidade desses recursos quando o crime tem essa característica, conforme estabelecido pela Corte.

Até agora, o MPF propôs 36 ações penais que tratam de crimes de repressão cometidos durante a ditadura nas comarcas do Rio de Janeiro, de São Paulo, Marabá (Pará), do Tocantins, de Rio Verde (Goiás) e Florianópolis. Na ações, foram denunciados 50 agentes da ditadura.

De acordo com o MPF, as 36 ações penais estão embasadas em provas testemunhais e documentais, que demonstram não só a ocorrência de crime, ocultação de cadáver, homicídio, sequestro, falsificação dos laudos necroscópicos, mas também comprovam a participação dos agentes específicos envolvidos em cada crime.

Precedente de Nuremberg

Segundo o procurador da República Marlon Weichert, que foi testemunha na Corte Interamericana no caso Herzog, desde o julgamento de Nuremberg (Alemanha), ocorrido após a Segunda Guerra Mundial para julgar crimes de guerra e contra a humanidade, o direito internacional “havia consolidado o entendimento de que esses crimes, que são os mais graves, crimes que a comunidade internacional não admite, não podem ficar impunes. E que nenhuma lei interna, nenhum país pode aprovar uma lei que deixe esses crimes impunes, sejam normas de anistia. Os obstáculos domésticos cedem diante da gravidade desses crimes”.

Weichert acrescentou que a Lei da Anistia no Brasil é invalidada após decisão da Corte Interamericana com a classificação de crime contra a humanidade. “O Estado brasileiro, todos os órgãos do Estado brasileiro, Ministério Público, polícia, Judiciário, além de Legislativo e Executivo, precisam aplicar essa decisão da Corte Interamericana”, disse o procurador, referindo-se a todas as ações relativas a crimes de repressão praticados, durante a ditadura militar, contra a população civil.

O procurador lembrou que a Justiça tem barrado ações de crimes ocorridos durante a ditadura, utilizando, sobretudo, os argumentos da ADPF 153 (Arguição de Descumprimento de Direito Fundamental 153), em que o Supremo Tribunal Federal se posicionou contra a revisão da Lei da Anistia. Diante disso, Weichert destacou a importância da decisão da corte internacional, que “reavaliou toda a matéria e subiu um patamar de argumentação. Antes, a Corte falava de graves violações de direitos humanos; agora falou expressamente, qualificou os crimes praticados pela repressão brasileira como crimes contra a humanidade”.

Fonte: Agência Brasil

WhatsApp fica para trás e Google lança rival ‘de peso’; confira

messages-web-1

O Google lançou esta semana o Android Mensagens Web, o que significa que o app nativo do sistema Android passa a ficar acessível pelo navegador do PC. O app, que agora permite trocar SMS pelo computador, funciona como o WhatsApp Web, já que requer um celular para escanear o código na tela do computador para fazer login. A plataforma leva para o desktop a experiência renovada do app, que, por suportar a tecnologia RCS, passa a suportar mensagens com imagem e vídeo além da tradicional mensagem SMS.

A versão web já está disponível no endereço messages.android.com por meio dos navegadores Chrome, Firefox, Opera, Safari e Edge, entre outros. O serviço, porém, requer uma nova versão do app no Android para permitir a conexão. Segundo o Google, a atualizaçãono celular chega para todos “ao longo da semana”.

O Android Mensagens Web deve ser disponibilizado junto com a reformulação do aplicativo para celular comentada desde abril. De um simples gerenciador de SMS, o app irá se transformar em um mensageiro mais completo, com funções semelhantes ao rival iMessage, do iPhone (iOS).

Uma das novidades é o suporte a GIFs e a possibilidade de copiar códigos de ativação recebidos via SMS com um toque. Além disso, o Google traz a função Smart Reply, que lê o contexto de uma mensagem recebida e sugere respostas prontas. Esse recurso, porém, só estará disponível, inicialmente, em inglês.

RCS

A integração entre mensagens SMS e conteúdo multimídia em um único app se dá por meio da tecnologia RCS. O padrão de comunicação já está disponível no Brasil para clientes das operadoras Claro, Oi e Vivo. Usuários deverão poder usar a versão web do serviço para trocar SMS pelo computador com um amigo usando celular, ou vice-versa.

O RCS não oferece mensagens criptografadas, mas o Google garante que as informações entre o celular e o computador do usuário serão protegidas para evitar vazamento de dados sensíveis. Uma vez estabelecida a conexão entre os dois dispositivos, o navegador criptografa a comunicação por 14 dias até exigir uma nova autenticação via código QR.

Globo, via Techtudo

Acesse a Postagem Original: http://www.blogdobg.com.br/#ixzz5J5lrQEKh

Bolsistas da TVU paralisam atividades e pedem melhorias estruturais e técnicas

UFRN-TVU-116-750x500

Com 45 anos de existência, a TV Universitária (TVU) foi a primeira emissora de televisão do Rio Grande do Norte. Pertencente a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, foi a pioneira dentre as emissoras universitárias ao adotar o sinal digital no ano de 2015. Porém, os bolsistas e alunos da TVU organizam uma greve justamente para reivindicar o funcionamento adequado dessa tecnologia.

Paralisados desde o dia 1º de junho, mais de 30 bolsistas pedem, através do movimento “Respeitem a TVU”, melhorias para garantir a transmissão através do sinal digital, além de melhorias técnicas e estruturais. O sinal analógico foi desligado no último dia 30 de maio em 26 cidades do RN, e, desde então, não foi constatado aumento na potência do sinal digital.

Rubem Coelho, estudante e bolsista da TV, é o porta-voz do movimento e explica que a ideia do movimento surgiu quando os bolsistas perceberam que a TV Universitária estava na eminência de ficar fora do ar. “Nesse momento o sinal digital já não estava funcionando da maneira adequada e hoje em dia a gente funciona com no máximo 10% da nossa capacidade de produção digital”, explica.

Com esta capacidade, a emissora, praticamente, está fora do ar. Tendo isso em vista, os estudantes se uniram no movimento para pedir que providências sejam tomadas para que a potência seja restaurada e o canal volte ao ar.

“A principal reivindicação dos bolsistas que iniciaram a paralisação, é reivindicar que o sinal digital funcione em sua capacidade máxima, porque a gente já tem a capacidade de transmitir no sinal digital, a gente já tem o transmissor e todo o equipamento necessário para isso. Mas, a gente não está conseguindo fazer essa transmissão da maneira adequada”, diz Rubem.

Ainda segundo o estudante, o movimento reivindica melhorias estruturais e técnicas, como a renovação da frota de carros disponíveis para o uso dos bolsistas, que apresentam problemas, por exemplo, nas portas dos veículos, podendo atingir a integridade física dos estudantes.

“A gente ama TV e muitas vezes faltam equipamentos básicos. A gente pede também o aperfeiçoamento do nosso sistema, tanto o sistema de armazenamento de vídeo como também do sistema de informação jornalística, que já é bem precária. E tudo isso, todas essas reivindicações de melhorias estruturais e técnicas, surge da nossa necessidade e da importância que a TV pública tem, acima de qualquer coisa”, conclui o bolsista.

O Agora RN ouviu o superintendente de Comunicação da UFRN, José Gilmar Alves, que explicou que o “sinal analógico foi desligado conforme o cronograma estabelecido” e que pelo fato da TV já trabalhar com o transmissor digital há um tempo, manutenções são necessárias e são elas que causam a queda da qualidade da transmissão.

Ainda de acordo com o superintendente, nesta quarta-feira, 6, um técnico irá visitar a TV para realizar novas manutenções que poderão solucionar em breve os problemas de qualidade na transmissão. Os bolsistas cumprem seus horários de trabalho presencialmente, porém, não realizam suas atividades. A paralisação segue até que o sinal seja restaurado completamente.

Google oferece treinamento gratuito em Natal

download

O Cresça com o Google, uma iniciativa gratuita que oferece treinamentos e ferramentas para capacitação de pessoas e empresas em habilidades digitais chega agora a Natal. Os cursos serão realizados nos dias 29 e 30 de maio no Centro de Convenções de Natal.

Conforme programação, os natalenses contarão com duas turmas de Treinamento de Marketing Digital no dia 29, uma no período da manhã, das 8h às 12h, e outra pela noite, das 18h às 22h. Já no dia seguinte, o Google oferecerá, das 8h às 12h, a Capacitação para Mulheres e no período noturno, das 18h às 22h, o Treinamento Digital para Professores. As inscrições para o evento já estão abertas e podem ser feitas pelo site do programa.

O Cresça com o Google tem como objetivo ajudar profissionais e estudantes a acessarem o melhor conteúdo e ferramentas do Google para aprimorarem suas habilidades, carreiras e negócios, auxiliando o público a se manter atualizado e preparado para o mercado de trabalho. Em um piloto no último ano, foram treinadas mais de 5 mil pessoas em Salvador e Recife. Com a expansão, espera-se treinar presencialmente 20 mil pessoas de abril a julho em três diferentes capitais do país. A iniciativa já passou por Teresina (PI) e Brasília (DF).

Além de treinamentos de conceitos básicos sobre marketing digital, os cursos propõem a inclusão das mulheres no meio profissional ao ensiná-las sobre liderança feminina e técnicas de negociação. Também está prevista a formação para professores, abordando temas como segurança on-line e cidadania digital, e ainda dicas sobre como utilizar o YouTube EDU em sala de aula. Veja abaixo mais detalhes dos cursos:

Treinamento de Marketing Digital

Em um mundo digital, o mercado de trabalho muda muito rápido. Para “sobreviver” é necessário se manter atualizado. No treinamento serão abordados conceitos básicos de marketing digital incluindo temas como estratégia, websites, links patrocinados, mídias sociais, ferramentas e soluções digitais do Google.

Womenwill – Capacitação para Mulheres

Capacitação para o desenvolvimento pessoal e profissional das mulheres, com temas como liderança feminina, técnicas de negociação, finanças pessoais, ferramentas e soluções digitais do Google.

Formação Digital para Professores

Curso para professores e educadores sobre segurança on-line e cidadania digital, com sugestões de atividades para aplicação dos conceitos em salas de aula. O uso do YouTube EDU como suporte didático em sala de aula e dicas para produzir conteúdos também serão abordados.

 

WhatsApp vai rodar vídeos do Facebook e Instagram diretamente na conversa

07122226134188-t1200x480

O WhatsApp vem recebendo uma série de mudanças, que por enquanto ainda estão em fase beta ou sendo distribuídas lentamente em todo o mundo. A novidade desta semana é a possibilidade de assistir aos vídeos do Facebook e do Instagram diretamente por meio do mensageiro, sem que você tenha que seguir um link externo para isso.

Uma atualização para o build 2.18.51 para iOS foi flagrada pelo MacRumours e prevê o funcionamento dos vídeos in-line de forma semelhante ao suporte já existente para o YouTube, que pode ter seu conteúdo visto em modo Picture-in-Picture enquanto você navega pelas conversas.

A mudança se junta aos poderes dados aos administradores de grupos e às videochamadas em grupo, confirmadas recentemente por Mark Zuckerberg. Vale lembrar que muitas das ferramentas lançadas ultimamente pelo comunicador instantâneo ainda não chegaram à boa parte dos usuários. Como dito antes, a atualização é lenta e o WhatsApp Beta chega primeiro para quem faz parte do programa de testadores da Google Play Store.

Jornalista recebe ameaças após criticar Bolsonaro

jornalista-ameacado-jair-bolsonaro-990x556

Na quarta-feira, 18, o diretor do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, Roberto Carlos Dias, falou sobre as ameaças que vem sofrendo de internautas após postar crítica ao deputador federal Jair Bolsonaro (PSL/RJ). O profissional da imprensa denunciou a situação à Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa.

O jornalista conta que escreveu mensagem nas redes sociais que dizia “não adianta lamentar a morte de uma criança estuprada e defender o Bolsonaro, réu em dois processos por apologia ao estupro”. A opinião resultou em onda de agressões e intimidações no Facebook e em grupos de whatsapp. “Vamos arrebentar este lixo. Vamos atirar com bala de sal para que o ferimento nunca cure. Vamos pegá-lo na rua” foram algumas das ameaças relatadas por Roberto Carlos Dias, que ainda contou sobre um episódio além do mundo digital. De acordo com o jornalista, ele foi intimidado por um taxista num restaurante em Caxias do Sul.

“Vivo um exílio doméstico. Vou da casa para o trabalho e do trabalho para casa. Não posso mais circular livremente, pois não sei até que ponto essas pessoas podem ir. Os comentários fortes que fazem mostram que não têm limites”, desabafou o comunicador de acordo com reportagem do sindicato.

Os casos de ameaça ao jornalista Dias serão acompanhados. Deputado pelo PSOL, Pedro Ruas vai conversar com o titular da Delegacia de Polícia, onde o boletim de ocorrência foi registrado. Além disso, o Ministério Público Estadual será procurado para que a investigação tenha acompanhamento. “Não estamos diante de um grupo de bate-papo nas redes sociais, mas de uma rede que se organiza para ameaçar, intimidar e violar direitos. É preciso tornar estas pessoas visíveis, pois a experiência mostra que são valentes nas redes. Na frente do juiz a conversa muda”, afirmou a deputada Manuela d’Ávila (PCdo B), que participou da reunião no orgão legislativo e defendeu o encaminhamento do caso para a Delegacia Especializada em Crimes Virtuais. Para a parlamentar, grupos de whatsapp que ameaçam de agressão e de atentado à vida “são quadrilhas, organizações criminosas que devem ser combatidas pela polícia”.

COMUNIQUE-SE

Facebook0