UFRN realiza “Trilhas Potiguares na Comunidade” na zona rural de Currais Novos

Trilhas na Comunidade

Um dos programas de extensão de maior êxito e interação efetiva com a comunidade norte rio-grandense, o “Trilhas Potiguares na Comunidade” realizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN está em Currais Novos desde o último dia 29 de julho onde desenvolve diversos projetos na comunidade Totoró e adjacências com a participação de alunos da instituição e comunidade. O Prefeito Odon Jr visitou na tarde desta terça-feira (31) os alunos e a equipe de coordenação, como os professores Marcos Adller, Márcio Vieira e Itamar Nobre e o turismólogo Endel Raul, e agradeceu o empenho de todos na realização do programa. “Agradeço à UFRN por incluírem Currais Novos nesse projeto tão importante de intercâmbio e troca de informações com nossas comunidades rurais”, disse.

Até o próximo sábado, 04 de agosto, alunos de diversos cursos da UFRN estarão desenvolvendo atividades nas áreas da saúde, educação, artes e cultura, comunicação, gestão ambiental e gestão e desenvolvimento regional. Com a parceria importante da Prefeitura Municipal de Currais Novos, o programa tem como objetivos executar projetos que contribuam para o desenvolvimento sustentável das comunidades, contribuir para o processo de qualificação social, além de identificar lideranças locais e capacitá-las para serem multiplicadores das ações.

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

Campanha Nacional de Vacinação Contra Poliomielite e Sarampo tem início no dia 06

Campanha Vacinação Sarampo e Poliomielite

As Unidades Básicas de Saúde de Currais Novos estarão realizando a partir do próximo dia 06 de agosto a campanha de vacinação contra a Poliomielite (Paralisia Infantil) e Sarampo, que deverá imunizar crianças entre 1 e 5 anos. A Campanha, que é nacional, tem o objetivo de combater os surtos ocorridos em alguns estados do país e, assim, aumentar a cobertura vacinal e impedir a disseminação do sarampo e pólio.

A Campanha se estenderá até o dia 31 de agosto e no dia 18 será realizado o “Dia D”, onde todas as UBS’s funcionarão das 8h às 17h, sem intervalo para almoço. De acordo com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, é importante que os pais levem a caderneta de vacinação dos filhos.

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

MPF reabre investigações sobre assassinato do jornalista Vladimir Herzog

d550180bb9c7bffd045aa5ff944512de

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo reabriu as investigações sobre o assassinato do jornalista Vladimir Herzog, ocorrido em 1975, durante a ditadura militar no Brasil. A reabertura foi possível após a condenação do Estado brasileiro na Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), da Organização dos Estados Americanos (OEA), no início deste mês, pela falta de investigação, julgamento e sanção dos responsáveis pela tortura e assassinato do jornalista.

Aos 38 anos, Herzog apresentou-se de forma voluntária para depor perante autoridades militares no Destacamento de Operações de Informação – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI/Codi). Foi preso, interrogado, torturado e morto no local. Na época, o jornalista foi declarado morto em consequência de “suicídio”, versão contestada por sua família desde o início.

“Queremos a Justiça, queremos conhecer os culpados, mas não é simplesmente uma questão de reviver o passado, mas de construir um futuro melhor. O presente que temos hoje é resultado do passado. Esse passado, se analisarmos os últimos 200 anos do Brasil, não mudou em nada. Os agentes do Estado continuam cometendo crimes e saindo impunes”, disse Ivo Herzog, filho do jornalista, que faz parte da Ouvidoria de Polícias do Estado de São Paulo.

“No ano passado, os agentes do estado [de Sâo Paulo] mataram mais de 900 pessoas. Isso é duas vezes o número de mortos e desaparecidos na ditadura militar em 20 anos. Esses crimes não vão a julgamento, menos de 8% dos crimes são investigados”, lamentou.

Na tarde desta segunda-feira (30), procuradores da República, integrantes do Centro de Justiça e Direito Internacional (Cejil), a viúva do jornalista, Clarice, e o filho, Ivo, concederam entrevista coletiva na sede da TV Cultura, onde Herzog trabalhava, para esclarecer o alcance da decisão da Corte em relação ao caso.

Crime contra a humanidade

Para a Corte Interamericana de Direitos Humanos, o caso Herzog cumpriu os requisitos de crime contra a humanidade, o que extingue as possibilidades de prescrição e de anistia dos torturadores e assassinos. O procurador da República Sergio Suiama, que atuou como perito na CIDH na avaliação do caso Herzog, disse que a forma como se organizou a repressão política no Brasil consistia em um ataque sistemático e generalizado contra a população e que isso foi confirmado com a sentença da Corte.

“[A conclusão é que] aqueles crimes cometidos por agentes da ditadura militar brasileira não eram crimes comuns, eram crimes de lesa-humanidade”, afirmou o procurador. Ele explicou que a condição de crime de lesa-humanidade – ou crime contra a humanidade – tem duas principais consequências jurídicas: a não prescrição e a não suscetibilidade de tais crimes à anistia. Ambas argumentações (prescrição e suscetobilidade à anistia) têm sido usadas no Brasil pela Justiça para que agentes repressores da ditadura militar não sejam responsabilizados.

Aplicação em outros casos

A diretora do Cejil, Beatriz Affonso, destacou que a decisão vale para outros crimes cometidos durante a ditadura militar no Brasil.

“Nos demais casos [de crimes durante a ditadura] que estão já denunciados pelo Ministério Público [Federal], repetem-se as características de crime contra a humanidade. A sentença da Corte não se restringe ao caso do Herzog, por isso que ela fala de contexto de crime contra a humanidade. Ou seja, ela entende que todas as violações que foram praticadas por militares e civis a mando da ditadura militar, de 1964 a 1985, ocorreram no contexto de crime contra a humanidade”, explicou..

Beatriz ressaltou que a Lei da Anistia, que é amplamente utilizada para obstruir as investigações e trazer para a sociedade a verdade sobre os crimes da ditadura, e a prescrição são dois institutos que não devem mais ser considerados pelo fato de os crimes que ocorreram durante a ditadura no Brasil terem sido em contexto de crime contra a humanidade, reforçando a impossibilidade desses recursos quando o crime tem essa característica, conforme estabelecido pela Corte.

Até agora, o MPF propôs 36 ações penais que tratam de crimes de repressão cometidos durante a ditadura nas comarcas do Rio de Janeiro, de São Paulo, Marabá (Pará), do Tocantins, de Rio Verde (Goiás) e Florianópolis. Na ações, foram denunciados 50 agentes da ditadura.

De acordo com o MPF, as 36 ações penais estão embasadas em provas testemunhais e documentais, que demonstram não só a ocorrência de crime, ocultação de cadáver, homicídio, sequestro, falsificação dos laudos necroscópicos, mas também comprovam a participação dos agentes específicos envolvidos em cada crime.

Precedente de Nuremberg

Segundo o procurador da República Marlon Weichert, que foi testemunha na Corte Interamericana no caso Herzog, desde o julgamento de Nuremberg (Alemanha), ocorrido após a Segunda Guerra Mundial para julgar crimes de guerra e contra a humanidade, o direito internacional “havia consolidado o entendimento de que esses crimes, que são os mais graves, crimes que a comunidade internacional não admite, não podem ficar impunes. E que nenhuma lei interna, nenhum país pode aprovar uma lei que deixe esses crimes impunes, sejam normas de anistia. Os obstáculos domésticos cedem diante da gravidade desses crimes”.

Weichert acrescentou que a Lei da Anistia no Brasil é invalidada após decisão da Corte Interamericana com a classificação de crime contra a humanidade. “O Estado brasileiro, todos os órgãos do Estado brasileiro, Ministério Público, polícia, Judiciário, além de Legislativo e Executivo, precisam aplicar essa decisão da Corte Interamericana”, disse o procurador, referindo-se a todas as ações relativas a crimes de repressão praticados, durante a ditadura militar, contra a população civil.

O procurador lembrou que a Justiça tem barrado ações de crimes ocorridos durante a ditadura, utilizando, sobretudo, os argumentos da ADPF 153 (Arguição de Descumprimento de Direito Fundamental 153), em que o Supremo Tribunal Federal se posicionou contra a revisão da Lei da Anistia. Diante disso, Weichert destacou a importância da decisão da corte internacional, que “reavaliou toda a matéria e subiu um patamar de argumentação. Antes, a Corte falava de graves violações de direitos humanos; agora falou expressamente, qualificou os crimes praticados pela repressão brasileira como crimes contra a humanidade”.

Fonte: Agência Brasil

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

Quase 23 mil potiguares têm novo prazo para sacar Abono Salarial

pis_idosos

Quase 23 mil trabalhadores que não sacaram o Abono Salarial ano-base 2016 no Rio Grande do Norte têm nova oportunidade. A reabertura do prazo foi autorizada na quarta-feira (11), em resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). O prazo, que terminou em 29 de junho, foi reaberto em 26 de julho, e os trabalhadores terão até 30 de dezembro para retirar o dinheiro.

Vale lembrar que o pagamento do benefício referente a 2017 também começará a ser pago no dia 26 de julho. O valor do Abono Salarial 2016 disponível para os trabalhadores no estado chega a R$ 17.555.022,14. Na região Nordeste, o benefício poderá ser retirado por mais de 342,7 mil pessoas, totalizando R$ 262.678.164,76.

No total, em todo o Brasil, são quase dois milhões de trabalhadores que não sacaram o benefício, o que corresponde a 7,97% do total de pessoas com direito ao recurso. O valor ainda disponível chega a R$ 1,44 bilhão. No RN, 22.946 potiguares podem usufruir do abono.

Este é o terceiro ano consecutivo em que ocorre prorrogação – no ano passado, essa mesma medida foi tomada. A reabertura do prazo atende um pedido dos representantes dos trabalhadores no Codefat.

O valor que cada trabalhador tem para sacar depende de quanto tempo ele trabalhou formalmente em 2016. Quem trabalhou o ano todo recebe o valor cheio, que equivale a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por 30 dias recebe o valor mínimo, que é R$ 80.

Tem direito ao abono salarial ano-base 2016 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos; trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2016 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos; e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Os trabalhadores da iniciativa privada devem procurar a Caixa. A consulta pode ser feita pessoalmente, pelo site da Caixa ou através do telefone 0800 726 02 07. Para os servidores públicos, a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, online ou pelo contato 0800 729 00 01.

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

Operação da PF investiga desvio de dinheiro público em obras nas rodovias federais no RN

whatsapp-image-2018-07-31-at-07.45.45

A Polícia Federal iniciou na manhã desta terça-feira (31) uma operação para reunir provas de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, entre outros delitos, no Rio Grande do Norte. Os crimes ocorreram entre 2009 e 2010. A ação apura corrupção nos contratos de adequação da BR-101 e as obras de manutenção das rodovias federais do estado.

Ao todo, 27 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos por 120 policiais federais em Natal, Parnamirim e em mais seis estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná e Ceará.

A operação, chamada Via Trajana, é um desdobramento de uma ação anterior realizada pela própria Polícia Federal junto ao Ministério Público Federal, denonimada Via Ápia, deflagrada em 2010. Durante o processo, surgiram novas provas e ficou evidenciada a ação criminosa de outros envolvidos que não foram conhecidos na época.

Segundo a PF, entre os diversos fatos sob apuração, está o pagamento de vantagem pecuniária indevida, propina, em contratos feitos entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes do estado (DNIT-RN) e construtoras responsáveis pelas obras rodoviárias no estado.

A Via Trajana, também conhecida como Via Romana, é a extensão da Via Ápia. Faz-se associação entre as vias romanas e o objeto da investigação.

Via Ápia

A Via Ápia recebeu este nome em alusão a uma das principais estradas da Roma Antiga. A operação foi deflagrada depois de seis meses de investigações, baseada em inquérito aberto em 2009, quando o Tribunal de Contas da União (TCU) começou a auditar indícios de superfaturamento no lote 2 da obra da BR-101, entre os estados do Rio Grande do Norte e Paraíba. De acordo com as investigações, cerca de R$ 2 milhões foram desviados das obras.

No dia 4 de novembro de 2010, ocorreu a prisão em flagrante do superintendente estadual adjunto do DNIT, Gledson Maia, que depois foi convertida em prisão preventiva de 30 dias pela Justiça Federal. Maia foi acusado de receber mais de R$ 50 mil em propina de um empresário do Paraná para facilitar a realização de serviços na ponte sobre o rio Açu, na BR-304. O empresário paranaense Túlio Gabriel de Carvalho Beltrão Filho foi o único que conseguiu o relaxamento da prisão no dia 5 de novembro, mesmo dia em que foi detido.

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

“Atire a primeira pedra o político que nunca usou”, diz Henrique sobre caixa 2

Henrique-A1

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves (MDB), recém-solto pela Justiça após onze meses de prisão preventiva e mais um mês de recolhimento domiciliar, por suposto envolvimento em irregularidades investigadas na operação Manus, admitiu que arrecadou recursos via caixa dois durante sua campanha ao Governo do Rio Grande do Norte em 2014.

Em sua primeira fala pública após deixar a prisão, Henrique revelou, em entrevista ao jornal Tribuna do Norte, que a prática é corriqueira entre os políticos. “Atire a primeira pedra qual político nunca utilizou no Brasil. Eu assumi que cheguei a usar. Assim recebi e assim usei”, destacou o emedebista.

A defesa de Henrique alega na Justiça Federal, onde corre o processo da operação Manus, que não houve contrapartida por parte do político no recebimento dos recursos pelas empreiteiras, por isso não haveria corrupção tipificada. “Espero que esse processo seja deslocado para a Justiça Eleitoral e lá eu possa dar as explicações necessárias”, diz Henrique.

O ex-deputado federal criticou ainda o que chamou de “criminilização da política”. “A acusação tenta criminalizar as doações de campanha. Recebemos doações lícitas, registradas, legais… A criminalização dessas doações (…) pode gerar uma grave distorção no País”, reclamou.

Sobre as eleições de 2018, o emedebista afirma que decidiu não concorrer a nenhum cargo e se afastar da vida partidária para se dedicar à defesa. “Eu pedi ao senador Garibaldi [Alves Filho]. Achava que era a hora de ele presidir, experiente que é, o diretório estadual do partido”.

“Reunido com minha família, minha mulher, meus filhos e advogados, após essas conversas, decidi que nesta eleição meu papel será apenas de eleitor. Vou participar como todo cidadão brasileiro no dia da eleição. Não serei candidato, não terei diretamente qualquer participação. Este ano tenho zero articulação política, zero de qualquer ingerência. Apenas muita torcida para que meu MDB seja mais uma vez um partido vitorioso”, concluiu o ex-ministro.

Fonte: Agora RN

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

Garibaldi e Geraldo Melo lideram pesquisa Certus/Fiern para o Senado

Garibaldi-Geraldo-750x516

Pré-candidatos do MDB e do PSDB, respectivamente, o senador Garibaldi Alves Filho e o ex-senador e ex-governador Geraldo Melo lideram a preferência do eleitorado para as próximas eleições para o Senado no Rio Grande do Norte. Pelo menos é o que mostrou a última pesquisa do Instituto Certus, divulgada neste domingo, 29, pela Federação das Indústrias (Fiern). Na sondagem estimulada (quando os nomes dos candidatos são apresentados aos entrevistados), Garibaldi tem 10,53% das intenções de voto, contra 8,58% de Geraldo Melo. Os dois seriam eleitos senadores em outubro. Esses números levam em conta as duas lembranças para o Senado, com base na mesma metologia de apuração da Justiça Eleitoral.

A distância de Garibaldi e Geraldo Melo para os demais pré-candidatos, entretanto, não é grande. A pesquisa Certus/Fiern mostra que os líderes do levantamento estão empatados tecnicamente com o terceiro e quarto lugares. O capitão Styvenson Valentim (sem partido) tem 8,12% das citações e a deputada federal Zenaide Maia (PHS) aparece com 7,52%.

Na sequência, também considerando as duas lembranças, estão: Antônio Jácome (Podemos), com 3,55%; Magnólia Figueiredo (Solidariedade), com 2,09%; e Alexandre Motta (PT), com 1,38%. Não chegaram a 1%: Telma Gurgel (PSOL), com 0,92%; Professor Laílson de Almeida (PSOL), com 0,71%; José Vieira (PSB), com 0,57%; Ruy Gaspar (PSD), com 0,43%; Preto Aquino (Patriota), com 0,35%; e Joanílson Rêgo (Democracia Cristã), com 0,25%.

36,38% dos entrevistados pelo Instituto Certus afirmaram rejeitar todos os candidatos apresentados, enquanto 18,48% não souberam ou não quiseram responder ao questionário.

A pesquisa Certus/Fiern, que também traz números da disputa pelo Governo do Estado, ouviu 1.410 pessoas de 40 municípios em 7 regiões do Rio Grande do Norte entre os dias 21 e 25 de julho. A margem de erro é de 3%, para mais ou menos, com grau de confiança de 95%. A sondagem foi registrada na Justiça Eleitoral sob os números RN-08199/2018 e BR-04763/2018.

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

Nova pesquisa mostra Fátima com 29%; Carlos, com 15%; e Robinson, com 6%

fatima-e-lula

A senadora Fátima Bezerra (PT) lidera a preferência do eleitorado potiguar para o Governo do Estado e, se a eleição fosse hoje, ela seria escolhida a próxima governadora. Isso é o que mostra a mais recente pesquisa do Instituto Certus, encomendada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern) e divulgada neste domingo, 29. (Confira aqui os números para o Senado).

Na sondagem espontânea, quando os entrevistados podem citar qualquer nome, Fátima lidera com 8,72% das citações. Na sequência, aparecem o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT), com 6,1%, e o governador Robinson Faria (PSD), com 2,91%. Além deles, foram citados o candidato do Solidariedade, Brenno Queiroga (0,35%); o do PSOL, professor Carlos Alberto (0,14%); o pré-candidato da Rede Sustentabilidade, Freitas Júnior (0,14%); e o do PSTU, Dário Barbosa (0,07%).

Ainda na espontânea, quase metade dos entrevistados (49,15%) declarou não saber responder. Outros 31,35% afirmaram rejeitar todos os candidatos e 0,21% não responderam ao questionário.

Na estimulada, quando uma lista de possíveis candidatos é apresentada ao entrevistado, Fátima lidera com uma margem maior. A petista aparece com 29,15% das citações, à frente de Carlos Eduardo (15,39%), Robinson (6,31%), Fábio Dantas (PSB, 1,7%), Carlos Alberto (1,13%), Freitas Júnior (0,71%), Brenno Queiroga (0,78%) e Dário Barbosa (0,21%).

Neste quadro, 34,1% dos ouvidos afirmaram não votar em nenhum desses candidatos, 10,43% não souberam responder e 0,07% não responderam ao questionário.

A pesquisa Certus/Fiern avaliou também três cenários para o segundo turno, se houver.

No primeiro cenário, o mais provável segundo a pesquisa, Fátima Bezerra derrotaria Carlos Eduardo por 42,84% a 23,33%. Os dois são rejeitados por 27,38%. No segundo cenário, Carlos Eduardo (40,07%) venceria Robinson (40,64%), com os dois sendo rejeitados por 40,64%. E, no terceiro cenário, Fátima derrotaria Robinson por 50,71% a 11,99%, com 31,63% rejeitando os dois.

O levantamento ouviu 1.410 pessoas de 40 municípios em 7 regiões do Rio Grande do Norte entre os dias 21 e 25 de julho. A margem de erro é de 3%, para mais ou menos, com grau de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob os números RN-08199/2018 e BR-04763/2018.

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

Ezequiel frisa união, determinação e trabalho em nome do compromisso com o povo do Rio Grande do Norte

Ezequiel chegando ao palanque

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) consagrou este domingo (29) como a largada para um novo tempo para a gestão pública no Estado. O partido, depois de ouvir todas as instâncias da agremiação, lançou nomes ao Senado, deputado federal e grande nominata a deputado estadual, no auditório do Hotel Holiday Inn, no bairro de Lagoa Nova, em Natal.

“O nosso PSDB é o partido que mais cresceu no Rio Grande do Norte porque somos conscientes da nossa responsabilidade e do nosso desejo de fazer mais, muito mais, pelo Rio Grande do Norte”, salientou o deputado Ezequiel Ferreira de Souza, presidente estadual do PSDB, ao saudar os convencionais.

Emocionado Geraldo Melo falou com o coração. “Hoje quero agradecer. Agradecimento é a palavra. Estava longe da vida pública. Mas o destino aprontou uma comigo. Meu PSDB me trouxe de volta. E estou disposto para lutar e servir”, declarou Geraldo Melo diante de prefeitos, vice-prefeitos, presidente de Câmaras Municipais, vereadores e ex-prefeitos de todas as regiões do Rio Grande do Norte que participaram da festa democrática do PSDB que ainda lançou Ezequiel Ferreira e Haroldo Azevedo, suplentes de senador.

thumbnail_Plateia

Coligado ao PSDB, o pré-candidato a reeleição o governador Robinson Faria, esteve presente na convenção. “Tenho orgulho de pertencer a uma coligação que tem o PSDB na sua composição. Vamos mostrar a verdade dos últimos quatro anos da gestão pública do Rio Grande do Norte”, disse o governador.

Para deputado federal, Rogério Marinho é pré-candidato à reeleição, que além de sair muito forte da região Metropolitana, ampliou bases no Seridó, Oeste e Potengi. “O PSDB sabe sua dimensão. Sabe sua responsabilidade e não vai fugir dela”, disse Rogério Marinho.

Ex-deputada federal, Sandra Rosado tentará mais um mandato na Câmara. Hoje, vereadora em Mossoró, Sandra já pegou a estrada no Alto, Médio e Oeste Potiguar em buscas de ampliar bases. Em 2014, Sandra conseguiu 52 mil votos e ficou na suplência.

A chapa proporcional do PSDB para a Assembleia Legislativa é a mais forte até agora apresentada por todos os partidos. Candidato à reeleição, Raimundo Fernandes e Gustavo Fernandes, com atuação na região do Alto Oeste. “A tromba do elefante mostrará sua força” disse Raimundo Fernandes. Gustavo Fernandes enfatizou que pretende lutar pelo desenvolvimento do estado com foco no desenvolvimento econômico.

Já Tomba Farias saiu de Santa Cruz e do Trairi com grande votação. “Peço a Santa Rita de Cássia força, bênçãos e muita lucidez para a caminhada que se inicia”, disse Tomba.

Duas mulheres vão integrar a nominata: as deputadas Márcia Maia, que durante a convenção fez questão de enfatizar o legado de Wilma de Faria, recentemente, reconhecida como a melhor governadora do RN nos últimos 30 anos. E, Larissa Rosado, que tem atuante trabalho na Assembleia Legislativa. “Mossoró mais uma vez fará a diferença”, disse Larissa.

O decano José Dias, aumentou suas bases no Estado e rejuvenescido para mais uma pré-candidatura. “Estou pronto. Para servir. Para contribuir. Para mostrar que com retidão e zelo com a coisa pública é possível fazer a diferença”, disse José Dias.

Gustavo Carvalho tem bases sólidas no Potengi, Alto Oeste e Médio. “Percorro o estado de ponta a ponta. E posso assegura que o PSDB está antenado com os desejos do povo do Rio Grande do Norte”, enfatizou Gustavo.

O médico Thiago Almeida, que tem bases no Seridó será candidato pela primeira vez. “Embora esteja iniciando. Já asseguro que estou mais do que disposto em contribuir com o desenvolvimento do meu estado”, declarou o médico Thiago Almeida.

Já Ezequiel Ferreira, que preside a Assembleia Legislativa é votado na Grande Natal, Seridó, Agreste, Mato Grande, nas regiões Central e Salineira, Potengi e Trairi, além de apoios novos em Mossoró. “Tenho muita gratidão a Deus por ter me possibilitado a missão de servir ao povo do Rio Grande do Norte. Aprendo todo dia. E cresce a cada dia do desejo de fazer mais pelo nosso povo. Mais educação, mais saúde, mais infraestrutura, mais emprego, mais renda, mais Rio Grande do Norte forte e nos trilhos”, salientou Ezequiel Ferreira.

O PSDB conta hoje com forte representação no interior do Estado com 33 prefeitos e vice-prefeitos, 109 vereadores, inclusive com representação em Natal, Mossoró, Parnamirim, Ceará-Mirim, Maxaranguape, Nísia Floresta e colégios eleitorais importantes como Currais Novos, Nova Cruz, Touros, Apodi, São Miguel, Angicos, Lajes e São Tomé, no Potengi. Os Diretórios Municipais e as Comissões Provisórias do PSDB estão presentes em todas as regiões reforçadas recentemente no Agreste, Trairi, Alto, Médio e Oeste Potiguar, além das regiões Potengi, Seridó, Salineira e Mato Grande.

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0

PTB, PTC, PPS, PRP, PMB, PMN e Avante decidem apoiar reeleição de Robinson Faria (PSD) ao governo do RN

Robinson-Faria-candidato

s partidos PTB, PTC, PPS, PRP, PMB, PMN e Avante realizaram uma convenção conjunta e oficializaram o apoio à reeleição de Robinson Faria (PSD) ao governo do Rio Grande do Norte.

A convenção aconteceu na casa de shows Kintal ll, na Zona Norte de Natal, no sábado (28). Nenhum dos partidos lançou candidatura ao senado.

Fonte: G1/RN

Compartilhe esta notícia com seus amigos:
Facebook0
Facebook0